08 agosto 2007

O amor é mesmo cego...

Acordou... completamente atarantada.
O corpo pedia mais umas boas horas de sono. O espectáculo era no mínimo deprimente!
Estava com os olhos colados, suplicando para continuar cerradissimos. A cara estava meia amachocada, com a marca dos lençóis e com o bordado da fronha da almofada estampado na bochecha em baixo relevo. Os seus cabelos rebeldes, estavam agora ao rubro, atingindo uma expressão artistica capilar, nunca vista, deixando bem claro para que lado é que se tinha acostado na noite anterior. As palavras a esta hora da manhã eram dolorosas e ainda não conseguiam sair. Era cedo demais para conseguir pensar, quanto mais verbalizar. Limitou-se a imitir sons, enquanto muito devagar tentava colocar o seu corpo numa posição menos penosa. Era agora a deixa, para a tosse canina entrar em cena, denunciando os diversos estragos nocturnos.
Ele acordou. Olhou para ela. Sorriu. E disse:

"Bom Dia! És linda, sabias?"- enquanto se aproximou dela para a beijar...

Mais coisa, menos coisa, foi isto?

2 comentários:

Nocas disse...

lolololol.Tás lá!!!

PIRINELA disse...

Sabes uma coisa!? Estou muito feliz por ti..... MERECES TUDO!!!****