28 maio 2007

Miss Caracoleta.

Cheguei à conclusão, que sou como o caracol. Ando com a casa às costa, ou melhor, ao braço.
A minha mala pesa toneladas. E todas elas, mais que necessárias. :) É impressionante, mas a cada dia que passa, a mala vai enchendo cada vez mais. E a minha, cresce a olhos vistos. Qualquer dia, tem vida própria.
Já tentei tudo.
Já andei com malas pequenas e é muito complicado. Parece que me falta a perna direita. E aborrece-me, porque nessas alturas, preciso sempre de algo, que quando andava com o "malão" nem me lembrava que trazia. E agora faz tanta falta! Por isso, não largo o meu malão por nada.
Decididamente, não sou mulher de malas pequenas.
Gosto dos meus malões bem recheados, cheios de correspondência, molhos de chaves e moedas caídas. Gosto de ter de tirar tudo da mala, para cima da mesa do café, à procura do porta-moedas ou de não saber em que bolsa é que estão os óculos escuros.
Como é possivel dizerem, que o tamanho não importa. Neste caso, para mim, é vital.
Quanto maior a mala , maior a aventura.

1 comentário:

Nocas disse...

ui, se essa mala falasse....